Pages Menu
Categories Menu

Posted on 23 Jan, 2015 in Lugar-Tenências, Notícias do mundo, Ordem do Santo Sepulcro, Política e sociedade

Da Europa ao Médio Oriente, Frente a Frente entre Culturas e Religiões

Da Europa ao Médio Oriente, Frente a Frente entre Culturas e Religiões

SAM_0339-300x225SARDENHA – A 27 de Janeiro de 2014, teve lugar em Stintino, Itália, uma conferência inter-religiosa intitulada “No diálogo, frente a frente entre religiões e identidades culturais. Na presença de diferentes representantes religiosos de Itália e do Médio Oriente, assim como de numerosos universitários e jornalistas, Mons. William Shomali, Vigário Patriarcal Latino em Jerusalém e Palestina, participou no acontecimento e lembrou como a Terra Santa é um lugar de coexistência pacífica entre muçulmanos e cristãos desde há séculos.

Promover o diálogo para juntos enfrentarem os desafios de hoje. Um desafio dentro do espírito do Vaticano II” sublinhou o Arcebispo de Sassari, Mons. Paolo Atzei.

Mons. Zichi, do Gabinete do Património Cultural da Arquidiocese, leu uma mensagem do Cardeal Tauran, do Conselho Pontifício para o Diálogo Religioso, sublinhando como “as diferenças” podem contribuir para tecer “verdadeiros laços de amizade entre os povos”. A conferência iniciou-se com umas palavras do presidente da Câmara, Antonio Diana, e conclui-se com uma intervenção de Mons. William Shomali, que evocou a Terra Santa como um lugar de coexistência entre muçulmanos e cristãos desde há catorze séculos. O Bispo mencionou os trágicos acontecimentos que tiveram lugar em Paris e as suas repercussões nos quatro cantos do planeta “num mundo cada vez mais globalizado “ lembrando que a liberdade de expressão não deve ser confundida com permissão de ofender: “No que diz respeito ao que aconteceu em Paris, penso que, sem nunca justificar a violência e o homicídio, os autores das caricaturas também erraram”.

Condenar a violência e o terrorismo promovendo ao mesmo tempo o mútuo respeito. Neste ponto, o Bispo lembrou como o respeito passa por pequenas coisas da vida quotidiana, como não oferecer alimentos proibidos aos seus convidados, ou ainda não fumar em frente a um muçulmano durante o Ramadão pois o fumo anularia o seu jejum. Neste sentido, lembrou a importância fundamental do conhecimento das tradições religiosas de cada um, ignorância que alimenta preconceitos e depois ódio. Mons. Shomali sublinhou também as diferenças entre as várias formas de Islão e o seu grau de abertura ao diálogo, do Islão moderado ao fundamentalista. Na Terra Santa o Bispo Auxiliar fala de uma ”experiência positiva” de coexistência “num espírito de fraternidade de amizade e de entreajuda” baseado no mútuo conhecimento da cultura do outro. Na Europa, o problema da não integração dos jovens muçulmanos na sociedade, alimenta, pelo contrário os fundamentalistas” acrescentou o Bispo.

Chevaliers-de-Sardaigne-300x224

Mons. Shomali junto dos cavaleiros da Sardenha

Por esta ocasião, estiveram presentes o Prof. Khaled Allam, que ensina Sociologia do Mundo Muçulmano na Universidade de Trieste, o Embaixador Iraquiano junto da Santa Sé, Habeed Mohammed Al Sard, Mons. Jihad Battah, Bispo Auxiliar do Patriarcado de Antioquia, o Sheikh Ai Hassan Ramadan, sírio alauita e o Cheik Ahmad Sadec Naboulsi, libanês xiita. Do lado italiano, o Presidente do Conselho Regional Gianfranco Ganau e o Prefeito de Sassari, Salvatore Mulas, responderam afirmativamente ao convite.

Ainda na sequência dos atentados de Paris e do debate sobre a absoluta liberdade da imprensa, uma parte do dia foi também consagrado ao papel dos media no diálogo inter-religioso, com intervenções de Mons. Edmond Farhart, Arcebispo de Biblos, no Líbano e de jornalistas libaneses, sírios e arménios.

A conferência foi organizada, entre outros, graças ao apoio da Lugar- Tenência da Sardenha, que Mons. Shomali visitou no dia seguinte. Este encontro com os Cavaleiros e Damas de Sassari foi particularmente caloroso. O Bispo convidou-os a irem à Terra Santa, que continua um lugar seguro para os peregrinos, apesar das tristes notícias que chegam de Gaza, como da Síria e do Iraque.

Myriam Ambroselli

[pe2-gallery album=”http://picasaweb.google.com/data/feed/base/user/medialpj/albumid/6106693302563327281?alt=rss&hl=en_US&kind=photo” ]