Pages Menu
Categories Menu

Posted on 12 Jan, 2016 in Diocese, Notícias locais, Paróquias em Jerusalém e na Palestina, Política e sociedade, Slide

A Coordenação Terra Santa visita Beir Onah perto de Cremissan

A Coordenação Terra Santa visita Beir Onah perto de Cremissan

 

BEIT JALA – Depois de uma visita a Gaza, a Coordenação Terra Santa foi visitar, no domingo, 10 de Janeiro de 2016, a região de Beir Onah, perto de Vale de Cermissan, cujas terras continuam confiscadas.

Depois da visita à Paróquia da Sagrada Família e às Irmãs do Rosário em Gaza, o programa da Coordenação da Terra Santa tinha uma previsto uma reunião em Belém com a Sociedade Saint Yves durante a qual os bispos foram informados da situação do Vale de Cremissan, incluindo a de Beir Onah. A Coordenação teve assim ocasião de contactar com vários proprietários cujos terrenos foram confiscados para a preparação das obras de construção do Muro de Separação.

Um deles pode assim lembrar a longa história das violações israelitas do direito de propriedade. Em 1994, as autoridades israelitas apropriam-se de 12 “dunums” (12 000 metros quadrados) dos seus terrenos em Al-Makhrour para a construção de uma nova estrada para ligar o colunato de Gush Eztion a Jerusalém. No passado mês de Agosto, o exército israelita confiscou cerca de mais quatro “dunums” e arrancou as oliveiras.

A família deste homem emigrou por causa, segundo ele, da” instabilidade económica que impede os jovens de preverem e preparem o futuro com o constante confisco dos terrenos, em Beit Jala, pelas autoridades israelitas.” Vivemos em constante ansiedade porque nunca sabemos o que Israel poderá fazer no futuro”. Ele chamou a atenção da Coordenação para os perigos da emigração, particularmente entre os cristãos. “Dentro de 10 ou 20 anos, as nossas Igrejas estarão transformadas em museus e a causa será a emigração maciça dos cristãos”.

No domingo de manhã, os bispos foram ao vale de Cremissan, perto de Beir Onah. Não puderam entrar nos terrenos confiscados que se tornaram numa zona militar fechada. Um dos bispos presentes disse: “não é a minha primeira visita a Beir Onah, vim aqui, no ano passado, por ocasião de um manifestação pacífica e fomos atingidos por granadas lacrimogéneas. Este muro é um escândalo, acrescentou, e o que é irónico é que a palavra escândalo ou escandaloso, em grego skandalon, significa armadilha ou obstáculo”.

Depois da visita, os bispos participam na missa, presidida por S.B. Fouad Twal, Patriarca Latino de Jerusalém na Igreja da Anunciação em Beit Jala. A delegação partiu em seguida para a Jordânia para se encontrar com refugiados sírios e iraquianos e com organizações católicas.

Saher Kawas.

IMG_1870.jpgIMG_1872.jpgIMG_1879.jpgIMG_1881.jpgIMG_1887.jpgIMG_1888.jpgIMG_1889.jpg
tadamn (3).JPGtadamn (5).JPGtadamn (11).JPGtadamn (33).JPGtadamn (37).JPGtadamn (39).JPGtadamn (42).JPGtadamn (51).JPGtadamn (21).JPGtadamn (86).JPGtadamn (24).JPGtadamn (102).JPGtadamn (110).JPGtadamn (118).JPGtadamn (300).JPGtadamn (122).JPGtadamn (127).JPGtadamn (156).JPGtadamn (163).JPGtadamn (168).JPGtadamn (171).JPGtadamn (174).JPGtadamn (179).JPGtadamn (191).JPGtadamn (211).JPGtadamn (213).JPGtadamn (232).JPGtadamn (247).JPG