Pages Menu
Categories Menu

Posted on 22 Feb, 2016 in Jubileu da Misericórdia, Slide, Vida espiritual

Um missionário da Misericórdia em Jerusalém

Um missionário da Misericórdia em Jerusalém

 

JERUSALÉM – Por ocasião da missa de quarta-feira de Cinzas, o Papa Francisco enviou para todo o mundo 1071 Missionários da Misericórdia. Já partiram para animar as missões e as iniciativas ligadas ao ano Jubilar, dando uma especial atenção ao sacramento da reconciliação. Um deles, o Padre Raymond de Souza, chegou no passado domingo a Jerusalém.

O Padre Raymond de Souza vem do Canadá e é capelão na Queens’ University em Kingston (Ontário) e prior da paróquia do Sagrado Coração de Maria. Durante a sua estada em Jerusalém, três encontros foram marcados na Capela do Instituto Pontifício de Nossa Senhora nos dias 15, 16 e 17 de Fevereiro. De todas as vezes, o Santíssimo é exposto para um momento de adoração, e de seguida o Padre Raymond comenta um Evangelho onde Jesus manifesta a misericórdia de Deus para os homens e o seu desejo de os salvar. O Santíssimo fica em seguida exposto podendo-se receber o sacramento da reconciliação.

Na sua qualidade de Missionário da Misericórdia, este padre recebeu do Santo Padre autorização para perdoar pecados, geralmente reservados à Sé Apostólica (profanação das espécies consagradas, a absolvição do seu cúmplice, a consagração episcopal sem mandato pontifício, violação directa do segredo de confissão, ou violência contra a pessoa do Papa). Estando disponível para receber os féis, quer ser “um sinal vivo da forma como o Papa acolhe os que estão à procura do seu perdão”. (1)

A conferência de segunda à noite foi consagrada ao Problema da Misericórdia e à conversão a partir do evangelho da Samaritana. Na terça à noite o Padre Raymond voltou ao evangelho do cego de nascença, pregando sobre a indefetível aliança entre Justiça e Misericórdia. A noite de domingo é ocasião para se refletir sobre a figura de Lázaro. Através destes três evangelhos, o Padre Raymond de Souza propõe que se refaça o caminho percorrido pelos catecúmenos para assim se compreender melhor como a misericórdia nos renova na nossa identidade de filhos de Deus. Aquele que é perdoado é convidado a tornar-se missionário tal como a Samaritana ou o Cego depois da sua cura, para anunciar as maravilhas do Senhor.

Estes serões de aprendizagem e de oração são uma resposta concreta ao pedido do Santo Padre que deseja que os missionários enviados se “tornem missionários convincentes da alegria e da Misericórdia”. (2)

Calixte des Lauriers