Pages Menu
Categories Menu

Posted on 19 Apr, 2016 in Notícias locais, Política e sociedade, Slide

Uma doação real para o restauro do Túmulo de Cristo

Uma doação real para o restauro do Túmulo de Cristo

 

AMÃ / JERUSALÉM – No dia 10 de Abril de 2016, Sua Majestade o Rei Abdallah II da Jordânia anunciou, por decretou real, a sua decisão de financiar o restauro do Túmulo de Cristo na Basílica do Santo Sepulcro em Jerusalém.

A Corte informou o Patriarca Ortodoxo de Jerusalém da “makruma” do rei (doação real de beneficência) por carta dirigida a Sua Beatitude Teófilo III datada de 10 de Abril. O Patriarca ortodoxo elogiou a generosidade do Rei, lembrando como sua Majestade foi e será sempre fiel guardião e depositário dos Lugares Santos cristãos e muçulmanos de Jerusalém.

Durante a Semana Santa, o Patriarca Ortodoxo de Jerusalém e a Custódia da Terra Santa tornaram pública a decisão pela qual o Túmulo de Cristo na Basílica da Ressurreição em Jerusalém será em breve restaurado, depois das solenidades da Páscoa ortodoxa. Um estudo científico, previamente realizado, confirmou a existência de sérios problemas de humidade ”ligados à condensação da respiração dos visitantes” e também de oxidação provocada pelo fumo das velas.

Este restauro é possível graças ao acordo conseguido entre as três principais confissões (Ortodoxa-grega, Latina e Arménia) que que coabitam na Basílica.

Mons. William Shomali, Vigário Patriarcal Latino em Jerusalém, saudou calorosamente a decisão do Rei Abdallah “é uma excelente notícia, uma notícia altamente simbólica uma vez que o Santo Sepulcro é, de entre todos, o lugar mais sagrado para os cristãos de todas as confissões. Esta decisão mostra como o Rei está atento aos cristãos e a sua contínua preocupação em preservar o património do cristianismo nomeadamente pela sua missão de garante dos Lugares Santos cristãos e muçulmanos de Jerusalém desde os acordos de Wadi Araba”.

Esta última “makruma” ou decreto real é mais uma prova do compromisso do Rei Abdallah para com os lugares cristãos e muçulmanos da cidade três vezes santa. A Esplanada das Mesquitas, “al Haram as-Sharif”, cujo acesso é regulado por um “ statu quo” que a colocou sob jurisdição jordana e administração do waqf de Jerusalém, é também emblemática do papel da Jordânia na protecção dos Lugares Santos.

No que respeita ao Santo Sepulcro, a parte que será restaurada, a edícula que corresponde ao lugar em que Cristo foi amortalhado e da Ressurreição, que está sem qualquer intervenção desde 1947, data em que os britânicos a revestiram de traves em aço para iniciar um restauro que nunca teve lugar. Este retomar histórico dos trabalhos, cujas despesas são assumidas pessoalmente por sua Majestade, foi confiado a uma equipa grega chefiada pela Professora Antonia Moropoulo, da Universidade Técnica Nacional de Atenas.

Myriam Ambroselli
Fotografias: LPJ / Thomas Charrière