Pages Menu
Categories Menu

Posted on 16 May, 2016 in Diocese, Jubileu da Misericórdia, Paróquias na Jordânia, Slide

Inauguração do Jardim da Misericórdia oferecido pelo Papa Francisco

Inauguração do Jardim da Misericórdia oferecido pelo Papa Francisco

 

AMÃ – Na quinta-feira, 12 de Maio de 2016, o “Jardim da Misericórdia” oferecido pelo Papa Francisco em ajuda às famílias iraquianas, foi inaugurado na Jordânia na Presença do enviado especial do Vaticano, Mons. Segundo Tejado Muños, Subsecretário do Conselho Pontifício Cor Unum e do Patriarca Latino Fouad Twal.

O Jardim da Misericórdia é um dos numerosos projectos do Centro de Nossa Senhora da Paz em Amã: é a criação de uma quinta sustentável que produzirá vários produtos alimentares. Uma iniciativa para ajudar os refugiados que foi tornada possível graças ao Papa Francisco e cujo objectivo é oferecer emprego aos iraquianos refugiados na Jordânia para lhes dar uma certa autonomia. Os lucros da quinta ajudarão não só os refugiados, mas também todos os que estiverem em necessidade.

Uma iniciativa duradoura e solidária

A gestão do Jardim da Misericórdia foi confiada à Caritas Jordana. A realização do projecto tinha sido anunciada pelo Sr. Wael Suleiman, quando da inauguração do Restaurante da Misericórdia no passado mês de Setembro, explicando que estavam reunidas as condições para a construção do Jardim da Misericórdia. A Igreja local ofereceu 10 000 m2 de terra arável assim como 600 oliveiras que serão exploradas para a produção de diferentes produtos como compotas de azeitonas, tudo confecionado numa cozinha especialmente construída para o projecto.

O Centro Nossa Senhora da Paz é uma instituição sem fins lucrativos fundada pelo Patriarca Latino em 2002 e dedicada à ajuda a pessoas com deficiência, sem distinção de religião, de nacionalidade ou de etnia. O Centro oferece aos mais novos diferentes métodos terapêuticos e educativos. A Caritas Jordana, que gere o Centro, está muito presente na Jordânia no domínio do trabalho social. A Associação conta com a ajuda das embaixadas e das organizações internacionais presentes na Jordânia para promover o projecto e encontrar oportunidades para vender os seus produtos também no estrangeiro. Outras quantas quintas sustentáveis estão projectadas no país, nomeadamente em Zaeqa e Furheis. Wael Suleiman lembrou, na quinta-feira, a origem do Jardim da Misericórdia. “Em coordenação com o Patriarcado latino e a Nunciatura Apostólica e em parceria com o Centro Nossa Senhora da Paz, quisemos usar este subsídio para um projecto que gerasse lucros para sustentar um bom número de famílias jordanas e iraquianas e para a criar emprego no seio do Centro Nossa Senhora da Paz. Vamos proximament, dar início a um outro projecto em Madaba, oferecido pelo governo francês, que será seguido por dois projectos similares em Zarqa e em Fuheis. O Objectivo de todos estes projectos é a criação de empregos para ajudar os nossos irmãos iraquianos a viverem dignamente durante a sua estada na Jordânia”.

A cerimónia de inauguração decorreu na presença de Mons. Segundo Tejado Muños, enviado especial do Santo Padre, de S. Ex. Mons. Alberto Ortega Martin, Núncio Apostólico na Jordânia e no Iraque, de Sua Beatitude Fouad Twal, Patriarca Latino de Jerusalém, de Mons. Maroun Laham, Vigário Patriarcal na Jordânia, de Mons. Elie Haddad, Arcebispo Grego Melequita de Sidon e Administrador Patriarcal da Diocese de Grega Melequita de Petra e Filadélfia assim como dos representantes das Igrejas locais. A cerimónia começou por uma missa presidida por Mons. Fouad Twal celebrando igualmente os três anos do pontificado do Papa Francisco e terminou com uma visita às infraestruturas da quinta sustentável.

Uma Obra de Misericórdia

Dirigindo-se à assembleia, depois do Evangelho, o Patriarca Fouad Twal lembrou o estreito laço que existe entre esta quinta e o Ano da Misericórdia: “Agradecemos a Deus pelo Ano da Misericórdia”: no mundo de hoje, na nossa região esgotada pela violência face ao fanatismo religioso cego e à falta de amor e de justiça (…) O Jardim da Misericórdia foi concebido para servir os pobres e os mais carenciados, para servir também os refugiados aos iraquianos que vieram até nós com Jesus por Jesus e para Jesus. Que possam encontrar paz e alegria na Ressurreição e na sua retorno para os seus lares. Esperemos que este Jardim possa dar frutos levando o sustento às famílias com necessidade, imploremos Nossa Senhora da Paz, Maria, neste mês bendito. Ela é a mãe da misericórdia que nunca deixa de zelar pelos seus filhos, geração após geração”. Por fim, o Patriarca agradeceu ao Papa Francisco que generosamente ofereceu este Jardim: “Continuamos a viver o Ano da Misericórdia. A Igreja pede para a pormos em prática ajudando ainda mais os outros, servido cada vez mais, rezando uns pelos outros ajudando-nos espiritualmente, louvando a Deus e trabalhando para a reconciliação dos povos. Irmãos e irmãs, estamos aqui reunidos nesta tarde para agradecer a Deus esta mensagem de amor e de paz que o Papa semeou em tão vastos campos do mundo, no momento em que pediu ao mundo que participasse na difusão da Misericórdia e da solidariedade entre todos os povos (…) agradecemos também a Sua Santidade o Papa, muito particularmente hoje, por nos ter apresentado este magnífico projecto a ser realizado neste Centro de Nossa Senhora da Paz, um centro de cura, de amor e de oração”.

O projecto foi financiado por um donativo do Santo Padre através dos Conselhos Pontificais Core Unum e Culture, assim como graças à ajuda contribuições dos doadores do Pavilhão da Santa Sé na Exposição Universal de 2015, em Milão. A Caritas Jordana e a Nunciatura Apostólica esperam que projectos similares surjam em breve, nos arredores da capital onde numerosos iraquianos encontraram refúgio.

Thomas Charrière
Fotografias: abouna. org