Pages Menu
Categories Menu

Posted on 7 Jun, 2016 in Notícias locais, Política e sociedade

Lançamento de pedras durante a missa em Rehovot: para Mons. Shomali a sociedade tem de afastar o radicalismo e a intolerância

Lançamento de pedras durante a missa em Rehovot: para Mons. Shomali a sociedade tem de afastar o radicalismo e a intolerância

 

ISRAEL – Sábado, 28 de Maio de 2016, os fiéis que assistiam à missa em Rehovot foram surpreendidos por pedras lançadas por um grupo de jovens israelitas. Mons. Shomali, Vigário Patriarcal, confessou a sua grande preocupação sublinhando a urgência de dar aos jovens uma educação baseada no respeito do outro e das suas crenças.

O pátio da pequena capela da comunidade de Santa Terezinha de Lisieux em Rehovot, Israel, estava cheio para a celebração da missa solene do Corpo e Sangue de Cristo pois a capela não era suficientemente grande para acolher todos os fiéis.

Durante a celebração, jovens de cerca de 14 anos, lançaram, por duas vezes, pedras sobre os fiéis em oração no pátio. Felizmente não magoaram ninguém como se pode lerno site do Vicariato para os católicos de expressão hebraica em Israel.

Mons. William Shomali, Vigário Patriarcal, partilhou connosco a sua grande preocupação: “É triste que pessoas em oração, na sua maioria mulheres que trabalham nas casas de judeus de Rehovot, sejam apedrejadas quando estão em oração. Mais uma vez chamamos a atenção para a cultura do desprezo pelo outro que existe em determinados meios israelitas e na necessidade de libertar a sociedade do radicalismo e da intolerância. É verdade que são jovens de 14 anos, mas os adultos e os seus professores arcam com a inteira responsabilidade”.

No seguimento deste incidente, o Vigariato para os católicos de expressão hebraica em Israel lançou também um apelo para se reunirem fundos para que se encontre um local de oração maior e mais seguro para os fiéis de Rehovot.

A comunidade católica de Rehovot aumentou muito nos últimos anos. As auxiliares de serviços de saúde que fundaram a comunidade acolhem neste momento um grande número de imigrantes vindas da India, do Sri Lanka e de África, assim como estudantes das duas instituições escolares de Rehovot, o Instituto Wiezmann e a Faculdade de Agricultura da Universidade Hebraica.

Myriam Ambroselli com o Vigariato de Santiago