Pages Menu
Categories Menu

Posted on 27 Jun, 2016 in Diocese, Noticias da diocese, Slide

Mensagem do Padre Pizzaballa, novo Administrador Apostólico da Diocese de Jerusalém

Mensagem do Padre Pizzaballa, novo Administrador Apostólico da Diocese de Jerusalém

Mensagem à Diocese
24 de Junho de 2016

Caros Irmãos e Irmãs,
Que a Paz do Senhor esteja convosco.
Foi-me pedido “que voltasse a Jerusalém” (Lc. 24): como aos Apóstolos depois dos “acontecimentos de Jerusalém” e do seu reencontro com o Ressuscitado. O Senhor, por intermédio do Papa, pediu-me que, por minha vez, voltasse à Cidade Santa depois da minha experiência enquanto Custódio.
Não escondo que fiquei surpreendido com este pedido conhecendo os meus limites pessoais e objectivos. Podeis assim imaginar qual foi a minha preocupação e inquietação face a esta missão que me foi confiada. Posso também conceber todas as questões que esta nomeação vos suscita e até mesmo a vossa perplexidade.
No entanto, conheço Aquele que me chama e me envia, e tenho confiança Nele. “A minha graça te basta” (2 Cor 12,9).
Volto a Jerusalém com o desejo de servir antes de mais o clero e toda a comunidade, pedindo-vos benevolência, amizade e cooperação.
A Igreja de Jerusalém: no dia da solenidade de S. João, dia em que ressoa na boca e no coração da Igreja o cântico de Zacarias pela força da Salvação que surgiu na casa de David, eis-me aqui enviado diante do Senhor para preparar os seus caminhos, aqui onde tudo começou.
Como João Baptista é preciso, antes do mais, que nos viremos para Ele, e olhando-o, reconhecermo-nos como Igreja. Só então nos poderemos tornar no bálsamo capaz de curar as imensas feridas desta terra e dos que aqui vivem.
Preparar o caminho, eis o que me foi pedido. Abrir as vias, os adros, libertá-los de tudo o que que nos impede de O encontrarmos e de encontrarmos o outro. Sei que não estou sozinho: desejo e devo partilhar a missão que me foi confiada com os meus predecessores – os Patriarcas Michel e Fouad, os bispos auxiliares e os eméritos, os vigários patriarcais, os superiores, os abades, os padres os diáconos, os religiosos e religiosas, as novas comunidades, os diferentes movimentos e o santo povo de Deus. Podeis também estar certos da minha inteira cooperação com a AOCTS e CELRA, dentro do espírito do Sínodo.
Um pensamento especial para os jovens. Eles são o futuro da nossa Igreja e nós olhamo-los com confiança e esperança. Penso em particular em todos os que estão implicados nas diferentes instituições do Patriarcado: escolas, paróquias, universidades. São lugares importantes de encontro, de partilha e merecem toda a nossa atenção. Estes lugares são fontes inestimáveis que permitem aos jovens contruir o seu sonho de um futuro, aqui, mas também estruturas para as quais é necessário que todos nós, com clareza, transparência e solidariedade nos empenhemos no seu apoio.
A salvação “incarna-se” neste encontro: no seguimento do convite do Papa Francisco, gostaria que brotasse de Jerusalém, desta Terra Santa e ferida, para nós e a para toda a Igreja esta capacidade de se encontrar e de se acolher mutuamente, de construir caminhos e pontes e não muros: entre nós e o Senhor, entre os bispos e os padres, entre os padres e os laicos, entre nós e os nossos irmãos das diferentes igrejas, entre nós e os nossos irmãos e amigos muçulmanos e judeus, entre nós e os pobres, entre nós e os que têm necessidade de misericórdia e de esperança. Só então poderemos responder plenamente à vocação única e universal da Igreja de Jerusalém, Igreja dos Lugares Santos.
“Começando por Jerusalém” (Lc. 24, 47), gostaria de ser, convosco e para vós, aquele que abre o caminho, o que promove a cultura do encontro, que partilha com todos e com cada um o desafio de seguir Jesus na alegria, para o bem da Igreja e do mundo.
Estou certo de poder contar com o apoio de todos vós, com as orações dos oásis contemplativos da Diocese e de todo o Povo de Deus de que tenho uma necessidade infinita.
Que o Senhor nos acompanhe, juntos, neste novo caminho.
+ Pierbattista