Pages Menu
Categories Menu

Posted on 19 Aug, 2016 in Diocese, Notícias de comunidades religiosas, Sacramentos, votos, ordenações, Slide, Vida litúrgica

Duas irmãs do Rosário fazem a sua profissão por ocasião da Festa da Assunção

Duas irmãs do Rosário fazem a sua profissão por ocasião da Festa da Assunção

 

JERUSALÉM – Duas irmãs da Congregação das Irmãs do Rosário fazem a sua profissão pela mão de Mons. Shomali na Igreja do Rosário em Mamilla, Jerusalém, nesta segunda-feira, dia 15 de Agosto de 2016.

Um grande momento de alegria e fervor para celebrar a Assunção da Virgem Maria e a ocasião de para duas irmãs da Congregação do Rosário pronunciarem os seus votos. Nesta segunda-feira, 15 de Agosto, Noha Mikhaeli, de origem egípcia, proferiu os seus votos perpétuos e Rand Hamarmeh, originária de Kerak na Jordânia, fez os seus primeiros votos.

As duas profissões tiveram lugar durante a missa solene de 15 de Agosto, grande festa para a comunidade das Irmãs do Rosário, nascida pelo expresso desejo da Virgem Maria a Santa Maria Alfonsina, canonizada em Maio de 2015. A madre superiora da comunidade, Irmã Inês El Yacoub, e numerosas irmãs do Rosário da região estiveram presentes neste acontecimento na pequena igreja de Mamilla onde estão guardadas as ossadas de Santa Maria Alfonsina.

A Congregação das Irmãs do Rosário conta hoje com 280 irmãs espalhadas pelo mundo, todas de origem árabe. A Congregação foi fundada, no fim do séc. XIX, pelo chanceler de então do Patriarcado Latino, o Padre Youssef Tanous, e por Santa Maria Alfonsina Ghattas, depois das aparições da Virgem a esta Santa.

A Congregação está implantada em diferentes países da região, Jordânia, Palestina, Líbano, Israel e Emiratos Árabes Unidos onde têm hospitais e sobretudo escolas muito reputadas no cumprimento dos desejos expressos pela Virgem Maria à Santa para se pôr ao serviço da educação. Há também irmãs a trabalharem em lugares especialmente difíceis como Alepo e Gaza.

Na sua homilia, Mons. William Shomali, Vigário Patriarcal em Jerusalém e na Palestina, sublinhou o quanto “a festa da Assunção nos lembra que somos feitos para a vida eterna e que a nossa vida, aqui em baixo, nos deve preparar para isso”. O Bispo fez a ligação entre a solenidade e as profissões de votos fazendo notar que “a vida de uma religiosa é um sinal do Reino que há-de vir: uma religiosa lembra-nos, pela sua consagração, pelo seu hábito, pelo seu modo de vida que há uma outra vida, a vida eterna, pela qual vale a pena esperar”.

“Devemos ter os pés na terra e os olhos levantados para o Céu” continuou o bispo retomando as palavras do Papa Francisco. “A Virgem, apesar de o seu corpo estar no céu, tem sempre os seus olhos pousados em nós” acrescenta, convidando os fiéis a imitá-La e a pedir a sua intercessão “pela Igreja de Jerusalém que tanta necessidade tem dela”.  

A cerimónia foi pontuada por momentos de emoção, nomeadamente pela ladainha dos santos cantada enquanto as irmãs estavam deitadas no chão em sinal de consagração total a Deus e depois durante a entrega da aliança nupcial à Irmã Nora e da Regra da Congregação à Irmã Rand.

Myriam Ambroselli

DSC_2845.JPGDSC_2822.JPGDSC_2850.JPGDSC_2863.JPGDSC_2883.JPGDSC_2887.JPGDSC_2908.JPGDSC_2933.JPGDSC_2935.JPGDSC_2943.JPGDSC_2959.JPGDSC_2974.JPGDSC_2988.JPGDSC_2993.JPGDSC_2995.JPGDSC_3041.JPGDSC_3058.JPG